Transplantes de face parciais

O próximo passo foi o transplante de parte da face de um doador. A receptora do primeiro transplante de face do mundo foi a francesa de 38 anos, Isabelle Dinoire. Em maio de 2005, Dinoire tomou pílulas para dormir e desmaiou em seu sofá. Quando ela acordou e tentou acender um cigarro, ficou surpresa ao perceber que não conseguia prender o cigarro entre seus lábios. Uma olhada no espelho revelou uma visão horrível - o labrador preto de Dinoire mordeu e arrancou a parte inferior de sua face, incluindo seu queixo, lábios e boa parte de seu nariz, deixando seus dentes e gengivas completamente expostos. "Eu não conseguia acreditar no que via - foi horrível", ela disse aos repórteres. Após o incidente, Dinoire foi obrigada a comer comidas pastosas e usar máscara cirúrgica para esconder sua face desfigurada.


Denis Charlet/AFP/Getty Images
Isabelle Dinoire, a primeira receptora de transplante de face, alguns meses após sua operação e um ano depois
Os médicos poderiam ter tirado o tecido do peito de Dinoire para reparar os danos em sua face, porém isso a teria deixado com muito pouco movimento. Ao invés disso, os cirurgiões Bernard Devauchelle e Jean-Michael Dubernard, que realizaram a primeira cirurgia de transplante de mão em 1998, interferiram e concordaram em dar uma nova face a Dinoire. A doadora era uma mulher de 46 anos cuja morte cerebral foi constatada após uma tentativa de suicídio.
Em novembro de 2005, duas equipes médicas formadas por aproximadamente 50 profissionais, reuniram-se para realizar a cirurgia em um hospital, em Amiens, França. Eles removeram a face da doadora às 22h30 min, em um sábado, e terminaram a recolocação em Dinoire aproximadamente às 16 h do dia seguinte. Uma semana após a cirurgia, Dinoire já podia falar, comer e beber; porém, os médicos disseram que, possivelmente, ainda levaria meses até que passasse a ter sensibilidade em sua nova pele.
Em 2006, os médicos, na China, se depararam com um caso ainda mais desafiante do que o de Dinoire. Três anos antes, um fazendeiro chamado Li Guoxing, tentou espantar um urso preto que estava perto de suas vacas, quando foi atacado pelo animal. O urso arrancou a maior parte do lado direito da face de Guoxing. Não só sua pele foi arrancada, como parte do osso de seu nariz e bochecha.


Fotos da China/Getty Images
Li Guoxing, em julho de 2006, após o primeiro estágio de seu transplante de face
Em uma cirurgia que durou aproximadamente 15 h, uma equipe de 18 médicos liderada por Guo Shuzhong deu a Guoxing um nariz, lábio superior, bochechas e sobrancelhas novos, de um doador que teve morte cerebral. A cirurgia foi um sucesso, e a nova pele de Guoxing apresentou pêlos faciais e acne após dias do procedimento.
Então, em 2007, médicos franceses realizaram um terceiro transplante de face parcial em um homem de 29 anos com neurofibromatose, uma doença que faz com que tumores cresçam nos nervos pelo corpo todo. Apesar do homem já ter passado por mais de 30 operações, sua face ainda estava tão desfigurada que ele não conseguia falar ou comer. Durante as 15 horas de operação, os médicos deram ao homem um nariz, boca, queixo e bochechas novos.
­O sucesso desses 3 transplantes de face, motivou os médicos a tentarem o primeiro transplante de face total, o que incluiria uma face inteira, bem como orelhas e cabelos. Em 2004, o Conselho de Revisão Institucional na Clínica de Cleveland, deu autorização aos médicos para prosseguir com a operação. Em 2007, tudo o que faltava fazer era encontrar o candidato certo.­
http://saude.hsw.uol.com.br/transplante-facial3.htm